Estudo de Caso - Indústria Química

Se você já tem algum conhecimento sobre produtos epóxi para pisos e deseja usá-los para corrigir algum problema, este artigo é para você. No estudo de caso relatado abaixo, que pode ser considerado um dos ambientes de trabalho mais severos à resistência do epóxi, mostramos uma empresa do setor químico que, no seu processo fabril, utiliza produtos ácidos e alcalinos e ainda conta com tráfego constante de empilhadeiras.

OS PROBLEMAS

Esta empresa que tinha mudança de endereço planejada precisava que a nova sede estivesse em plenas condições de abrigar o negócio. Para isso, seria necessário realizar a impermeabilização do piso, evitando que os agentes químicos com os quais a empresa trabalha contaminassem o solo e se adequando às normas ambientais. Fora essa necessidade, o trânsito de empilhadeiras na área demandava que, além da resistência química, o ambiente contasse também com resistência mecânica/abrasiva.

Entretanto, nossa equipe percebeu, que embora o piso fosse novo, houveram problemas estruturais na concretagem do piso e que resultaram em inúmeras trincas. Isso aconteceu devido à falta de profundidade da junta de dilatação, fazendo com que a tensão do piso logo se espalhasse por meio dessas trincas. 

Trincas no piso recém concretado.

Indicamos de imediato que as juntas fossem cortadas com maior profundidade para que, só posteriormente, houvesse o conserto com massa epóxi. No entanto, o empreiteiro não achou que o problema poderia ter ocorrido por esse motivo e resolveu consertar as trincas sem fazer os cortes na junta, fazendo com que novas fendas voltassem a ocorrerem paralelo aquelas que já haviam sido consertadas.

Trincas formadas em parelelo as que haviam sido consertadas

 

A SOLUÇÃO

Dessa vez, entendendo que havíamos feito a indicação correta, o empreiteiro resolveu cortar mais profundamente a junta de dilatação antes de podermos realizar o conserto. Vale mencionar que esse concreto tinha mais de 50 cm de espessura e somente com o corte mais profundo da junta de dilatação o problema seria sanado. Porém, queremos chamar atenção que, apesar de ter sido essencial nesse caso, o corte da junta de dilatação pode não ser a alternativa mais adequada para outros problemas estruturais.

Novas trincas abertas ao lado das que haviam sido reparadasJunta de dilatação com corte mais profundo

 

Nesta mesma obra também realizamos a impermeabilização com produtos epóxi das canaletas por onde iriam escoar os resíduos corrosivos provenientes da produção em direção a estação de tratamento. Para evitar que os produtos corrosivos provenientes da produção entrassem em contato direto com o concreto, caso os tanques de contenção excedessem a capacidade de armazenagem, o mesmo procedimento foi realizado na estação de tratamento de efluentes.

Canaletas impermeabilizadas

 

Estação de Tratamento após impermeabilização. 

 

Assim como na impermeabilização do piso, os produtos aplicados nessas duas situações foram pensados especialmente para resistir ao fluxo de resíduos ácidos e alcalinos provenientes da produção.

Projeto finalizado.


Este projeto foi realizado há cerca de 7 anos e desde então o cliente tem realizado apenas manutenções com função estética no piso, cobrindo riscos e revitalizando a cor, já que a exposição constante de produtos químicos pode afetar a coloração e brilho do epóxi, mas sem afetar a integridade física do revestimento.

 

Voltar